[Crítica]- Liga da Justiça

0

Depois do grande sucesso de Mulher Maravilha, no mês de junho o até então filme mais aguardado de super-heróis chegou aos cinemas, confira nossa crítica completa de Liga da Justiça.

O desenvolvimento é algo que flui bem dentro do filme, sempre priorizando as cenas de ação, entretanto os diálogos quando tem, são poucos. Tive a impressão que Liga da Justiça é um filme voltado 100% para ação. Em poucos momentos, temos diálogos. O filme é totalmente frenético, não deixando em quase nenhum momento o espectador conseguir respirar e absorver a história.

Em um filme de super-heróis uma do senão a coisa mais importante são os efeitos especiais, que ajudam tornar o filme “mais real”. Em Liga da Justiça a grande maioria dos efeitos são bons e principalmente bem trabalhados. As cenas de lutas, destruição, são todas bem feitas. Um detalhe especial para o Flash, que teve um grande trabalho por parte da Warner/DC. Porém nem tudo são flores na vida, não é mesmo¿ A CGI do vilão, Lobo da Estepe, não é lá das melhores, além que seu andar em alguns momentos parece robótico. Fora isso os efeitos estão muito bons, principalmente quando você junta uma sala com a tecnologia IMAX com o 3D. A experiência de assistir o filme fica muito melhor.

A trilha sonora é muito boa, exatamente como estamos acostumados nos novos filmes da DC. O engraçado é que muitas músicas foram reutilizadas de filmes anteriores dos personagens, e até temos os tão famosos temas originais do Batman e do Superman, fazendo uma aparição especial. Caso tenha interesse de escutar, você pode escutar a trilha logo abaixo:

A história em filmes de super-heróis nunca foi o ponto mais alto, principalmente nos atuais filmes do universo DC (Nolan mandou um abraço), e em Liga da Justiça não é nada diferente. O uso frenético das cenas de ação foi um jeito onde o diretor achou de sobrepor a história que pelo menos pareceu mal contada. Primeiro temos a junção dos heróis para ser formado a Liga que não tem uma GRANDE motivação, além de termos personagens que acabam forçando muito a comédia, como o próprio Flash, que tem os seus momentos engraçados, mas em sua grande maioria as piadas são forçadas. Outra coisa que não me agradou tanto assim foi que com o grande sucesso dos filmes da Marvel, em um tom vamos se dizer mais “infantil”, a DC aproveitou a onda e entrou nela de cabeça, e quis fazer com que Liga da Justiça se pareça muito com os filmes da sua maior concorrente. Não que isso seja ruim, mas pode perder a personalidade dos filmes da DC. Além disso podemos dizer que com toda certeza o Lobo da Estepe, o vilão do filme, não é lá um grande vilão assim.

Muito se fala de outros personagens do universo dentro do filme, e sim aparecem alguns, porém é uma cena de flashback de menos de 4 minutos onde mostra uma batalha na Terra a milhares de anos atrás. Então não se anime para ver um Lanterna Verde ou até outro personagem dentro desse filme que você irá se decepcionar. Ou não

Vale lembrar que Liga da Justiça tem 2 cenas pós créditos, então fique na sala até o final!!

Confira o trailer do filme logo abaixo:

Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman (Henry Cavill), Bruce Wayne (Ben Affleck) convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes – Batman, Mulher-Maraviha, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher) e Flash (Ezra Miller) -, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.

Liga da Justiça já está em cartaz em todos os cinemas brasileiros.

 

73% Bom
  • Roteiro 60 %
  • Efeitos Especiais 80 %
  • Fotografia 85 %
  • Trilha Sonora 85 %
  • Enredo 60 %
  • Atuação 70 %

Compartilhe.

Sobre o Autor

Amante cinematográfico, adorador de música, games e viciado em Star Wars, um amor que nunca será entendido. Em seu tempo livre gosta de comer, ler e ficar procurando um jeito de viajar para uma galáxia muito distante.