Dragon Ball – Shueisha fala sobre a popularidade da série e planos para o futuro

0

Dragon Ball Eras

No ano passado, em outubro, a editora de mangá japonês Shueisha anunciou a formação do Dragon Ball Room. Este é um departamento focado exclusivamente em Dragon Ball e para otimizar e continuar a expansão de seu vasto universo. Com a Yahoo! Japão, o chefe da seção, Akio Iyoku discute a criação da equipe Dragon Ball Room e as experiências de marketing para várias gerações de fãs em todo o mundo. Ele fala principalemente sobre a Franquia Dragon Ball continuar por tempo indeterminado e que a série ter sido popular antes, é o motivo de ser popular agora.

Uma nova conferência de imprensa de planejamento de publicação foi realizada por Shueisha em outubro de 2016, uma seção tinha todos os envolvidos conversando, mesmo sem uma “nova publicação” sendo anunciada. Seu nome é o “Dragon Ball Room”. A primeira seção da Shueisha dedicada exclusivamente a uma única franquia, é suposto “levar esta franquia popular em todo o mundo ainda mais longe”, mas em termos concretos o que exatamente esta seção faz (ou o que vai fazer)? E como exatamente isso veio a ser? Pedimos ao chefe da seção Akio Iyoku. De acordo com materiais distribuídos na conferência de planejamento, o Dragon Ball Room é uma seção para manipular toda a mediação entre o autor e estrangeiros ou nacionais licenciados e ajudando com supervisão editorial e contratos relativos à filmagem e comercialização de Dragon Ball e outras obras de Akira Toriyama. De acordo com Iyoku, é difícil definir o cronograma exato de quando esta seção foi criada, mas houve longas discussões na Shueisha sobre como gerenciar um ponto de contato para empresas externas quando se tratava de Dragon Ball, que terminou seus lançamentos . Como resultado, “eles decidiram estabelecer uma nova seção para contatar Toriyama-sensei e outras coisas para manter a franquia indo indefinidamente”.

Dragon Ball Super Sobrevivência do Universo

Isso levanta uma pergunta. O anime de Dragon Ball Super, atualmente em exibição nas manhãs de domingo, é uma nova série baseada no esboço original de Akira Toriyama, e está com seus capítulos na VJump (com arte de Toyotaro). A resposta de Iyoku: “Eu e todos os outros encarregados do Dragon Ball Super estamos no departamento editorial da V-Jump e também trabalhamos no Dragon Ball Room”. Desembalando isso, “The Dragon Ball Room faz parte do departamento de direitos e foi originalmente concebido como uma integração do departamento editorial V-Jump e do departamento de direitos. Ambos estavam fazendo o mesmo trabalho, então eles decidiram fazer juntos. “

Iyoku diz que um dos papéis principais do Dragon Ball Room é “inspeção da comercialização”. Parece que eles coordenam com a Toei Animation, que fazem o anime de TV, e “lidar com supervisão editorial, papelada oficial … bem como desenvolvimento de mercadoria. Nós decidimos o conteúdo de jogos como o jogo de arcade Super Dragon Ball Heroes ou a série de jogos Dragon Ball Xenoverse. Ao participar deste desenvolvimento de mercadorias, tentamos tornar a franquia em um sucesso ainda maior. “O jogo 3DS Dragon Ball Fusions, destinado a um público jovem, apresenta fusões de personagens populares não vistas na história original. Os membros do Dragon Ball Room acharam que isso seria algo que as crianças gostariam. Além de desenvolvimento de mercadorias domésticas, outro grande trabalho para esta seção está se expandindo no exterior.” Parece que a base para o que torna um personagem popular são ligeiramente diferentes no exterior do que no Japão: ” Aparentemente fora de nossas águas, a força determina a poularidade”, diz ele. Uma diferença particularmente grande entre o Japão e o exterior é a “incrível popularidade” do personagem original do filme Broly, que apareceu como um inimigo em três filmes (um dos quais apresentava um clone dele) “

Dragon-Ball-Xenoverse-032

2016 marca o aniversário de 30 anos de Dragon Ball desde sua estréia na Weekly Shonen Jump em 1986. Com a passagem de 30 anos, Iyoku diz que entre os fãs, “Há uma mudança de gerações. Os pais são da geração que experimentou a série em tempo real, e eu acho que você poderia dizer que eles apoiam seus filhos quando eles assistem Dragon Ball. Eu acho que é precisamente porque nós alcançamos esse período que a série é tão popular agora. “Ao mesmo tempo, LINE Stamp está ficando a” geração em tempo real “zumbindo com conteúdo como” o chefe ideal Freeza “ou” Yamcha acaba indo um pouco longe demais “. “Recentemente eles se tornaram capazes de conscientemente fazer coisas que têm um estilo diferente para eles, o que é outra conquista do Dragon Ball Room. Ao invés de simplesmente fazer mercadoria, estamos no ponto em que podemos planejar as coisas e criar tudo  juntos. ”

E você o que acha? Dragon Ball está indo para o caminho certo?

Via SY

 


Compartilhe.

Sobre o Autor

Douglas Amaral

Um cara que gosta de Tecnologia, cultura Oriental e é muito curioso. Gosta bastante de Dragões, e Batata frita. E por isso não vai viver por muito tempo!