Facebook começa a desenvolver drones para acesso global à Internet

0

Facebook-Titan-Aerospace-Solar-Powered-Drones-21

Se você está lendo este artigo, isto significa que você provavelmente tem acesso à Internet; estima-se, entretanto, que mais da metade do mundo ainda não acessa a Web. Pensando nisso, a empresa Facebook Inc. está prestes a entrar no desenvolvimento de drones com o objetivo de trazer a Internet para o resto do mundo.

Os mais atentos podem já ter conhecimento deste plano; em Março de 2014, a companhia comprou a Ascenta, uma startup desenvolvedora de drones movidos a energia solar. Com o acordo de 20 milhões de dólares efetuado há um ano atrás, já havia sido anunciado o plano de expansão da Internet.

O veículo não-tripulado, conforme os planos atuais, terá uma envergadura superior à de um Boeing 737, mas com um peso comparavelmente inexpressivo similar ao de um carro pequeno. O objetivo é levar cerca de mil destes drones equipados com internet de alta velocidade aos vários cantos do mundo, voando a altitudes de mais de 20000 metros. Os primeiros testes serão realizados no meio do ano, mas é provável que leve ainda muitos anos para que o projeto finalmente entre na sua etapa de execução.

É plausível que objetivo da empresa seja conseguir mais consumidores para seus produtos, dentre os bilhões que ainda não possuem acesso à internet. Segundo a Engadget, a Facebook também está considerando como opção lançar satélites para áreas remotas demais até para os drones.

Projeto Loon

Se isto lhe soa familiar, é porque a distribuição aérea de internet já tem competição. Em 2013 a Google já havia iniciado a fase de testes de seu Projeto Loon, que irá botar no estratosfera equipamentos de transmissão de ondas de rádio pendurados em balões, e distribuí-los pelo mundo.

A expansão da Internet atualmente já é expressiva. Segundo a ITU (União Internacional de Comunicação), o número de usuários de Internet no mundo subiu de 16% em 2005 até 30% em 2010, e então a 39% em 2013. Espera-se que todo o restante das pessoas do mundo possam acessar a Web, com os esforços de empresas como Facebook e Google.

Via Engadget


Compartilhe.

Sobre o Autor

Rafael Ferreira

Engenheiro, gamer, headbanger e assistidor de anime. Também é compositor e produtor como passatempo.