Conheça o novo MacBook

0

New-MacBook-2015-space-grey

Quem poderia imaginar que a coisa mais interessante a sair do evento “Spring Forward” da Apple seria um novo laptop? Além de esclarecer mais detalhes sobre seu novo relógio inteligente, a companhia também revelou uma nova (e muito aguardada) atualização para o MacBook Air. Bom, mais ou menos. o “novo MacBook”, como é chamado, não é de forma alguma uma atualização do Air; ele existe como uma linha totalmente nova, separada de ambos Air e Pro. Não vai ser barato a $1.299, mas é para as pessoas que demandam o design mais fino e leve da Apple, sem comprometer a qualidade da tela (como seria o caso normalmente ao comprar o Air). Eu tive a oportunidade de experimentá-lo após o evento de hoje, e saí de lá impressionada — não somente com seu design sem ventilador, mas também com o display Retina, com o trackpad sensível à pressão e teclado redesenhado. Dito isto, não é para todos.

New_2015_Retina_MacBook_Pro_800home_thumb800

Seria perdoável imaginar que o novo MacBook fosse uma substituição para o Air atual. O aparelho tem uma estética similar, com um chassi único de alumínio, disponível em três cores; teclas pretas; e um perfil em forma de cunha. Também apresenta um monitor Retina sensacional de 12 polegadas, 2304 x 1440, igual a todos os outros displays Retinas em qualidade, isso se não a própria resolução. Em outras palavras, fica claro que o aparelho compartilha o mesmo DNA de seus compaheiros. Mas cara, é muito mais leve que o Air. Pesando duas libras, ele faz com que o Air (que estou usando para digitar isto) pareça uma coisa pesada e velha. Eu estou até um pouco chateada por estar usando isso aqui. Esse peso, também, é quase tão leve quanto o “laptop mais leve do mundo” que a Lenovo apresentou na CES, exceto que aqui a qualidade do equipamento é muito superior aqui. A Apple conseguiu reduzir o peso sem ter que apelar para materiais baratos. Isto, por si só, é um grande feito.

Para alcançar essa finura — somente 13,1mm em seu ponto mais grosso — a Apple precisou redesenhar o teclado que você tipicamente encontraria no Air. Isso foi uma aposta séria por parte da Apple; o teclado bem-espaçado e elástico do Air é um de seus diferenciais sobre as máquinas rivais. Em fato, eu fiquei um pouco desagradada quando eu vi o layout de botões do novo MacBook: as teclas aqui não oferecem muito deslocamento. Já que eu vivo de analisar Ultrabooks, e muitas vezes sou dada à tarefa de testar teclados rasos, eu quase instintivamente preparei as mãos de uma certa forma; eu estava pronta para um teclado que não fosse oferecer muita resistência sob teclagem pesada.Acontece que eu só precisava dar uma chance — e aprender a confiar na máquina, o que leva tempo, preciso admitir. Apesar de as teclas iluminadas serem de fato planas, e enquanto eles não são muito macias, ainda são elásticas. Elas voltam quando eu teclo. Isso quer dizer que eu posso digitar num ritmo delicado e saber que eu vou acertar as teclas na maior parte do tempo, e que a maioria dos meus comados serão registrados. Se isto fosse outra máquina, eu poderia subconscientemente começar a acertar as teclas mais forte, só para me certificar de que eu não deveria voltar e re-digitar qualquer coisa.

New-MacBook-2015-keyboard-mechanism

Eu estava preparada pra fazer isto aqui, mas rapidamente senti minhas mãos relaxando quando eu percebi que não precisavam trabalhar tão duro. Ainda sim, pode haver uma certa curva de aprendizado para vocês que estão se atualizando de um MacBook mais antigo.O trackpad também foi atualizado. Não se preocupe, ainda é uma superfície espaçosa de vidro, e ainda se sai bem nas coisas básicas, como acompanhar um dedo e rolamento com dois dedos. Mas agora é sensível à pressão também, o que abre possibilidades para muitos gestos novos, até além dos que você já conhece. Por exemplo, posso pressionar meu dedo sobre um endereço no Mail, para ver um mapa aparecer. Posso fazer o mesmo no Safari de forma a conseguir um sumário da Wikipedia. Também funciona no Finder, permitindo que eu pré-visualize meus arquivos. Mas meu favorito — e imagino que o favorito de qualquer um que tenha visto a apresentação — é a habilidade de adiantar ou rebobinar bem rápido no QuickTime pressionando os ícones de seta.

 

Ao longo do meu teste, a experiência é bem controlada; bem deliberada. Eu não veria como você poderia usar um gesto Force Touch se você não tivesse a intenção. Um toque leve no touchpad é algo totalmente diferente de um toque firme com seu dedo. Mesmo se você pressionar levemente e manter seu dedo, não é a mesma coisa que realmente aplicar pressão. A máquina entende. É o que eu chamaria do equivalente touchpad do palm-rejection.Mas voltando à espessura. A Apple não só teve que reconfigurar o teclado. Também precisou repensar que tipo de entradas caberiam numa máquina tão fina. Com esse sistema de próxima geração, a Apple optou por uma entrada reversível de USB Tipo C, do mesmo tamanho de um socket típico de micro-USB. Daí você pode usar a entrada para carregar o aparelho, assim como usar adaptadores que façam-no funcionar com HDMI, VGA e DisplayPorts em outros aparelhos. Por um lado, isso parece um pouco inevitável — eu posso te garantir que outros fabricantes de PC estão trabalhando em laptops com entradas USB Tipo C. Por outro lado, só há uma entrada do tipo (nem mesmo duas) e também, esse tipo de entrada nem sequer é padrão ainda. Pra quem está acostumado a plugar conectores USB do tamanho usual em seus laptops, isso pode ser uma mudança desanimadora. Eu sei que não estou acostumada com isso.Então, será que vai ser um bom negócio? Para alguns, sim. Depende do quanto você precisa dessa tela Retina — e esse design de duas libras.

New-MacBook-2015-battery

 

O Air regular ainda deve oferecer um tempo de bateria mais longo, e todas as entradas que você vai precisar. Mas ele pesa mais, e a tela é muito inferior a essa aqui. Enquanto isso, se você quiser essa qualidade de tela (e todas as entradas de sempre), você teria que avançar para o MacBook Pro com tela Retina, que é obviamente muito mais pesado. Para fãs de carteirinha do ac, então, isso lhe deixa com pouca escolha se portabilidade e qualidade de monitor forem importantes. Para os mais agnósticos entre vocês, porém, a decisão pode ser mais complicada. Nós vimos algumas máquinas muito finas com Windows e algumas delas, como o Dell XPS 13, fazem isso com processadores ainda mais poderosos que o chip Intel Core M de baixa potência usado aqui. E sim, eles tem todas as entradas de sempre também. Isso é algo para não se esquecer enquanto você estiver fazendo suas compras — e para eu lembrar quando eu eventualmente fizer o review completo.

O artigo original é de Dana Wollman, do site Engadget, que recentemente experimentou recentemente o novo MacBook.

O novo computador da Apple será lançado em 10 de Abril!


Compartilhe.

Sobre o Autor

Rafael Ferreira

Engenheiro, gamer, headbanger e assistidor de anime. Também é compositor e produtor como passatempo.