A Bizarra Teoria para unir todos os mitos de criação

0

478509227-1024x537

Não existem muitas coisas neste mundo que conseguem levar uma comunidade cientifica bem estabelecida em um completo alvoroço, como um autor que mancha com sucesso as linhas entre mitologia e ficção científica com a verdade, e, em seguida, tem a audácia de ter suas reivindicações publicadas não apenas por uma editora conhecida, mas que é especializada em livros científicos. E isso é apenas o que o escritor russo Immanuel Velikovsky conseguiu fazer. Em primeiro lugar, vamos às suas teorias:

Elas são geralmente consideradas pela comunidade científica, não tanto como uma interpretação dos fatos, mas como uma re-imaginação deles. Ele não começa com fato científico aceito, mas com os mitos da criação do mundo, e desenvolve suas próprias teorias sobre como esses mitos se entrelaçam para formar o que realmente aconteceu na história da Terra.

A chave para essas teorias é a ideia de que Vênus não era originalmente um planeta, mas um cometa que se separou de Júpiter. (Esta ideia é equiparada aos mitos gregos da filha de Zeus que nasceu em uma forma completa a partir da cabeça de Zeus. Nos mitos, Vênus não era o equivalente a Afrodite, mas sim a Athena. É uma discrepância que nunca abordados: Ele escreve como se fosse Athena.)

A partir daí, o cometa Vênus ricocheteou em todo o sistema solar, causando todos os tipos de caos que se reflete em muitos dos mitos que foram proferidas ao longo dos séculos. Uma aproximação com a Terra causou os eventos na Bíblia, descrita como Êxodo. Outra aproximação trouxe as pragas descritas em muitas mitologias; insetos e outros pequenos organismos que podem sobreviver no mais inóspito dos ambientes, e é essa capacidade de sobrevivência que lhes permitiu deixar Júpiter na parte de trás de Vênus e sobreviver à viagem através do espaço, para por fim se apresentar a Terra como a peste e a infestação.

Ele escreveu que Vênus acabou viajando muito perto de Marte, onde o cometa perdeu sua cauda e foi redirecionada para a órbita normal que vemos agora.

A quantidade de detalhes e o número de ambos os mitos e acontecimentos históricos que ele reavalia para caber em sua teoria é espantosa. Os Jogos Olímpicos, fundada por Ares (Marte) e em honra de Atena (para ele Vênus), foi claramente uma referência para o redirecionamento do cometa Vênus causadas por Marte. Os eventos celestes descritos na Ilíada, iluminando o céu enquanto os deuses disputavam por Troia, foram realmente visto por seres humanos como se o sistema solar estava ainda em estado de auto-organização. A destruição de Sodoma e Gomorra veio quando Júpiter que estava sobrecarregado chegou muito perto da Terra.

Até mesmo as mudanças na superfície da Terra, Velikovsky explica com estas teorias. O dilúvio bíblico, o aumento não só da quantidade de água no planeta, mas também um aumento da salinidade – que veio de Saturno, é claro, quando a Terra foi bombardeada com material extraterrestre. A instabilidade da gravidade e o estado dos nossos maiores planetas causou a Saturno a perda uma boa quantidade de materiais, introduzindo cloro, sal e hidrogênio em grandes quantidades na a superfície da Terra.

Estes eventos, segundo ele, não foram devidamente documentados antes dele por causa de uma amnésia coletiva que o mundo sempre sofreu. (Olha o Neuralizador ai)

Ao longo de seus livros, Velikovsky aborda mitos da criação de todo o mundo, desde o México até a Grécia e para a Bíblia. Seu trabalho resultou em uma reação um tanto estranha. O mundo literário o elogiou principalmente por sua genialidade, elevando-o para uma posição ao lado de muitos dos grandes escritores e pensadores do dia. A comunidade científica, em grande parte ignora o seu trabalho, e aqueles que  leram como Stephen Jay Gould, se refere a ele como nada menos do que um herege científico, mas ao menos teve a decência de ser massivamente bem-sucedido por mais errado que ele estava.

Curiosamente, o seu trabalho foi publicado originalmente pelo livro gigante Macmillan, mas por causa de um tumulto na comunidade científica dizendo que o seu trabalho não deve ser publicado juntamente com a ciência “real”, a editora o rebaixou.

E você o que acha? Somente é um louco, ou ele pode ter alguma razão em suas teorias?

Traduzido por Fernando pereira
Via KnowledgeNuts


Compartilhe.

Sobre o Autor

Douglas Amaral

Um cara que gosta de Tecnologia, cultura Oriental e é muito curioso. Gosta bastante de Dragões, e Batata frita. E por isso não vai viver por muito tempo!